E mais uma vez um livro do autor Nicholar Sparks é adaptado para as telonas. Segundo a sinopse Travis Parker (Benjamin Walker) tem uma vida confortável, um bom emprego, amigos leais e uma casa em pequena cidade costeira. Ele busca diariamente viver plenamente e acredita que um relacionamento sério limitaria o seu estilo de vida. Isso até que Gabby Holland (Teresa Palmer) se muda para a casa ao lado. Mesmo que ela tenha um namorado, a moça o instiga logo de cara e faz com que os dois se entreguem a uma relação que nenhum deles esperava.

 

Resultado de imagem para filme a escolha

 

Porém, a história é bem diferente do que contada nas divulgações, aliás não sei se posso dizer diferente ou exatamente igual a todas outras do autor. No começo Sparks inovava e algumas de suas histórias merecem destaque nas adaptações como “Um Amor pra Recordar”, “Diário de uma Paixão” e “Querido John” dai por diante as coisas só pioraram.

Em suma e não novidade para as histórias do autor, há uma casa no lago, barcos com passeios românticos, namorado/a atual a favor do amor antigo do parceiro, amor proibido, romance de férias, menina da cidade que se apaixona pelo rapaz do campo, pessoa religiosa tentando converter outra,cena com um luar incrível, entre outros clichês que estão presentes em todas as adaptações do Sparks.

 

Resultado de imagem para filme a escolha

 

A história é bonita, mas já foi contada diversas vezes e de muitas maneiras já tentaram passar a mensagem final em outros filmes.

O casal definitivamente não tem química, não convence e muito menos cativa. A personagem Gabby é forçada, sem jeito algum pra mocinha e a produção poderia ter caprichado mais na maquiagem, pois mesmo sem ser, parece que a personagem está sempre doente, pálida, sem vida. Já Travis se diz o homem que não gosta de relacionamentos, gosta de curtir a vida, mas isso se mostra apenas na primeira cena com os amigos, em todo o resto ele se mostra romântico, galanteador e se apaixona pela vizinha a primeira vista.

O enredo peca em vários momentos, não há o que ser contado, o filme fica massante até a reta final, eis que acontece algo (finalmente o clímax), mas tudo se resolve em pouco minutos, o que poderia ser dividido de outra maneira.

Resultado de imagem para filme a escolha

 

A fotografia sim merece destaque, com belas imagens de encher nossos olhos de beleza.  Há muitas frases de efeitos, bonitas, ao longo do filme, mas é só, Nicholas Sparks poderia inovar nos seus livros, para assim consequentemente pensar em adaptar suas histórias para os cinemas.

 

Quer um conselho? Assista o trailer que a história inteirinha está nele.

 

Nota: 6

 

Trailer:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.