Diogo (Tom Karabachian) tem um estranho fetiche: ele sente prazer ao ligar para as pacientes de sua mãe, Clarice (Denise Fraga), que é terapeuta. Certo dia, ele liga para Ângela (Karine Teles), uma mulher de 43 anos que acaba de se separar do marido. Os dois iniciam uma complicada relação pelo telefone, repleta de curiosidade e de mistério.

Fala Comigo : Foto

Silêncio é a palavra chave do filme, que diz muito nas entre linhas, expressões e pausas. O diretor e roteirista Felipe Sholl  usa o silêncio como condutor da narrativa, preenchendo os espaços nas longas pausas durante a história, porém pecou na ausência de uma boa trilha sonora.

Há um certo incômodo no decorrer do enredo, por tratar temas tão polêmicos e atuais de uma maneira, muitas vezes, apelativa, tentando reforçar aquilo que já foi mostrado.

O ritmo do longa é pesado e desenvolve muitas questões nos primeiros minutos, deixando o tempo que resta arrastado, sem ter muito o que contar.

Fala Comigo : Foto

Não é atoa que Clarice é terapeuta, pois a questão psicológica está presente no filme durante todo tempo. Inclusive para os espectadores que certamente ficarão com muitas questões sem respostas e grandes reflexões, pois na teoria o filme não se aprofunda e não define os grandes temas abordados.

“Fala Comigo” traz uma sensualidade sem cair para a sexualidade, traz uma uma pureza sem cair na inocência.

Karina Teles ganha destaque na atuação, se entrega dando vida a uma mulher que luta para ser feliz, já Tom Karabachian faz um trabalho mediano, na qual seu personagem falta voz ativa e que quase convence e Denise Fraga é sem dúvida a cereja do bolo.

Fala Comigo : Foto

Ousada e inovadora história para o cinema nacional, na qual estava precisando de algo do gênero, porém o enredo se perde durante seu ritmo e deixa a desejar.

Nota: 7,0

Trailer: