Em maio de 1980, um taxista de Seul recebe uma proposta de um repórter estrangeiro que consiste em transportá-lo para Gwangju e depois voltar para o local de origem por uma bagatela que cobrirá meses de seu aluguel pedente. No local, o taxista descobre uma realidade que ainda não conhecia: a ditadura militar na Coreia, quando centenas de civis foram massacrados pelo governo.

O Motorista de Táxi : Foto

Confesso nunca antes ter assistido um filme coreano (aceito sugestões), então quando fui convidada para “O Motorista de Taxi” fui com a mente fechada e levei o pré-conceito de que seria péssimo. Leitores, eu estava enganada, e como fico feliz em escrever isso, errei feio. O Filme é incrível, um dos melhores que já assisti e além de tudo é baseado em fatos reais, o que torna a história ainda mais emocionante e sensível.

O protagonista Man-seob é o típico trabalhador que luta para ganhar seu dinheiro honestamente, mas que tem o coração tão grande que quando pode ajuda as pessoas com atos de solidariedade, mesmo sabendo que irá se complicar financeiramente por isso. Pai dedicado, cria sua filha sozinho após a morte da mulher e por mais que se esforce sente que a presença materna faz falta para a menina que tem se mostrado agressiva nos últimos tempos.  O ator é cativante e sensível, em poucos minutos de cena já ganha o coração dos expectadores.

O Motorista de Táxi : Foto

Outro destaque é para o personagem do jornalista, que arrisca sua própria vida para contar a verdade para o mundo, em vários atos heroicos que caminham juntos com a amizade que vai nascendo com o motorista de Táxi. Apesar de toda a história se passar em pouco mais de 24 horas, é tudo tão intenso e marcante que parece que os personagens se conhecem de anos e anos.

Enredo envolvente, cenas de ação na medida certa, paleta de cores que varia harmonicamente dependendo da emoção e tema principal do ato, bem como a trilha sonora que casa perfeitamente com cada cena.

O filme irá arrancar boas gargalhadas, lágrimas e deixar seu coração apertado.

Nota: 10. 

Trailer:

 

O MOTORISTA DE TAXI estreia nesta quinta-feira dia 11 de janeiro em São Paulo e Rio de Janeiro.

DECLARAÇÃO DO DIRETOR

Esse filme se origina na história do jornalista Jüren Hinzpeter, que cobriu a Revolta de Gwangju de 1970, e no taxista coreano Kim Sa-bok, que o levou de Seul a Gwangju. Estaria mentindo se dissesse que não senti pressão em retratar esse evento que deixou tão grande cicatriz na história contemporânea da Coreia do Sul. Eu me perguntei: Posso realmente retratar um evento tão grande na tela de maneira efetiva, sem o desvalorizar?
A despeito de minhas preocupações, o que me puxou para dentro da história de TAXI DRIVER foram os dois personagens principais, Man-seob e Peter. Em 1980, Jüren Hinzpeter estava trabalhando como correspondente estrangeiro em Tóquio. Mas, quando ouviu sobre a situação na Coréia, ele veio sem hesitação cobrir os eventos em Gwangju. O que o fez percorrer toda a distância até Gwangju? E sobre o motorista de taxi comum que o levou até lá, pelo que ele já passou? Queria retratar o passado como refletido nos olhos de um motorista de taxi que começa a sentir a mudança em si mesmo. E eu queria retratar a história não como um grande processo modelado por grandes personagens, mas como uma culminação de muitas pequenas decisões e escolhas corajosas feitas por pessoas comuns – não como um mural gigante, mas como uma miniatura vista bem de perto. Espero que o público assista o filme como se estivesse a bordo do taxi de Man-seob, ouvido as histórias das pessoas daquela época, e entendendo que as histórias não são tão diferentes das nossas próprias.