Dirigido por Gabriela Amaral Almeida e produzido pela RT Features, longa estreia no dia 9 de agosto

Um embate de titãs. É assim que a diretora Gabriela Amaral Almeida define o confronto entre Djair (Irandhir Santos) e Inácio (Murilo Benício) em cena inédita de O ANIMAL CORDIAL, que estreia nos cinemas dia 9 de agosto.  O filme é uma fábula violenta sobre desejo na sociedade brasileira. Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, com coprodução do Canal Brasil e distribuição da California Filmes, O ANIMAL CORDIAL é o primeiro slasher movie(subgêneros do terror, caracterizados, dentre outras marcas, pelo uso de violência gráfica extrema) dirigido por uma mulher no Brasil.

Dois dos maiores atores brasileiros em um plano de enfrentamento. Os filmes western sempre me vinham à mente nas cenas de confronto entre Djair (Irandhir Santos) e Inácio (Murilo Benício). Os olhares, as tensões, a iminência do ataque. Os momentos entre eles dois eram como micro-westerns, para mim – explica a diretora.
A história se passa em uma única noite em um restaurante de classe média alta em São Paulo que é invadido, no fim do expediente, por dois ladrões armados. O dono do estabelecimento, o cozinheiro, uma garçonete e três clientes são rendidos e precisam lidar com a situação. O local torna-se palco dos mais diferentes embates: empregados x patrão; ricos x pobres; homens x mulheres; brancos x negros. Civilização e barbárie: os dois conceitos se alternam na claustrofobia de um espaço, que vai sendo desconstruído à medida que soluções “cordiais” se tornam impossíveis.

O gênero já faz parte do portfólio da produtora baseada em São Paulo, que tem títulos como “A Bruxa’, de Robert Eggers, e “Quando Eu Era Vivo”, de Marco Dutra. Pode-se dizer, que faz parte de uma nova onda de produção no terror no Mundo, que não busca envolver a plateia através de sustos fáceis e truques clichês. São filmes mais complexos, com diretores que dialogam com o gênero de cinema de arte e que buscam também trazer reflexões sociais.

Para Rodrigo Teixeira, esta nova forma de encarar o gênero também pode ser comercial: “Acho que existe um tipo de filme de terror que faz terror com menos clichês como uma opção de subverter o gênero de uma maneira inteligente e isso também atrai público“.

O filme tem no elenco Murilo Benício (Inácio), o dono pacato do estabelecimento, Luciana Paes (Sara), a fiel garçonete do restaurante, Ernani Moraes (Amadeu), Jiddu Pinheiro (Bruno) e Camila Morgado (Verônica) como os fregueses, e Irandhir Santos na pele do cozinheiro (Djair). Completam o elenco Humberto Carrão, Ariclenes Barroso, Thais Aguiar, Eduardo Gomes e Diego Avelino.

O ANIMAL CORDIAL teve sua estreia mundial no 21º Fantasia International Film Festival no Canadá, um dos mais tradicionais festivais dedicados a filmes fantástico, de horror, terror e demais subgêneros no mundo. Depois da estreia, seguiu para Sitges (Espanha), L’Etrange (França), Razor Reel Flanders Film Festival (Bélgica), dentre outros festivais que celebram o gênero do horror e do fantástico. No Brasil, foi exibido no Festival Internacional de Cinema do Rio, que deu a Murilo Benicio o prêmio de Melhor Ator; no Janela Internacional de Cinema do Recife; no Panorama Internacional Coisa de Cinema, em Salvador; no Rio Fantastik Festival, onde Gabriela Amaral Almeida levou o prêmio de melhor roteiro original,  e FantasPoa 2018, que premiou Luciana Paes e Gabriela Amaral Almeida como melhor atriz e melhor diretora