Camila Mendes (Kéfera Buchmann) é uma popstar arrogante, que busca o sucesso a todo custo. Prestes a lançar uma nova música, ela é surpreendida em casa pela visita de sua fã número 1 (Marcella Rica), que insiste em tirar uma selfie com ela. O que Camila não esperava era que tal situação a levasse de volta à adolescência, quando sofria bullying de praticamente todos no colégio. Seu único amigo é Cabeça (João Côrtes), que tenta ajudá-la a encontrar seu verdadeiro eu, já que só assim conseguirá voltar à sua realidade.

Apesar do enredo batido de viagem no tempo, inclusive citado em certo momento do filme, ele inova em falar sobre o nostálgico anos 2000. Inteligente, visto que parte do público da youtuber viveu uma infância ou adolescência nesse período. Foi gostoso rever algumas músicas, gírias e modas da época.

O longa trata sobre o bullying e os grandes dilemas dos jovens, porém apesar de tentar atrair dois públicos (jovens de hoje e os jovens dos anos 2000) ele se encaixa melhor para o primeiro grupo.

A história é aquela cheia de clichês, principalmente referente ao colégio, lembrando muitos filmes americanos de adolescentes, na qual fica evidente tudo que vai acontecer em cada cena, porém é leve para assistir (com alguns palavrões desnecessários).

O elenco principal dá um show de interpretação. Destaque para o personagem Cabeça, na qual o João fez brilhantemente de forma naturalmente engraçada e cativante.

Não que seja um spoiler, mas já sendo, confesso que senti vergonha alheia do clipe de abertura. Por alguns momentos achei que o filme seria um fiasco, mas me surpreendeu.

Nota: 7,0

Trailer: